Oportunidade de Bolsa PIBIC para Pesquisa – Projeto Slow Food

20/02/2018 16:09

Divulgamos Bolsa PIBIC para Pesquisa  vinculada ao Projeto Slow Food.

O objetivo é trabalhar durante 4hs/semana em atividades de pesquisa relacionadas ao projeto Slow Food (informações abaixo). Durante esse período estaremos trabalhando com a seleção de pesquisas para a publicação de um livro que será apresentado no evento mundial Terra Madre em Turim em setembro/2018 (http://salonedelgusto.com/en/).
O valor da bolsa é R$400,00 e não o candidato NÃO pode estar recebendo outra bolsa (estágio, por exemplo). Existe possibilidade de renovação da bolsa para mais 1 ano a partir de agosto.
O processo de seleção será realizado durante os meses de março a julho de 2018. Aqueles que se interessarem enviem currículo diretamente para rene.birochi@ufsc.br .

 

Projeto Slow Food

Projeto “Alimentos bons, limpos e justos: ampliação e qualificação da participação da Agricultura Familiar brasileira no movimento Slow Food”, financiado pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário.
O projeto, em fase de finalização, tem como finalidade propor e implementar estratégias, mecanismos e ações que ampliem a participação da agricultura familiar e de suas organizações na Rede Slow Food brasileira (movimento social-econômico), qualificando, desta forma, a oferta e comercialização de alimentos bons, limpos e justos.
O projeto é organizado e desenvolvido por meio de iniciativas interinstitucionais constituídas em rede com a participação de universidades públicas brasileiras (mais de 20 universidades), profissionais e ativistas vinculados à Rede Slow Food; e iniciativas interdisciplinares com a presença de especialistas de diferentes áreas do conhecimento.
O projeto tem escopo nacional, atuando nas cinco grandes regiões político-administrativas brasileiras, alcançando, através de suas ações diretas, 17 estados, 40 territórios rurais e mais de 100 municípios. Como resultado dessas ações estima-se a geração de impactos positivos entre cerca de 5.000 agricultores familiares, 500 jovens rurais, 400 técnicos e 200 empreendimentos sociais, tais como cooperativas, associações, movimentos sociais, sindicatos e grupos da sociedade civil organizada e do mercado.